Gestão financeira para os momentos de crise

A gestão financeira é, sem dúvidas, um dos pilares de um negócio de sucesso. Infelizmente, o surto do Coronavírus levou à perda da segurança financeira para muitos empreendedores e varejistas.

Para ajudar a manter organização financeira do seu negócio saudável, convidamos a especialista em Evolução e Estratégia Financeira, Joice Sperandio, para trazer dicas exclusivas sobre a gestão financeira em momentos de crise. Confira agora no Crescer com Elian!

 

A importância do planejamento financeiro no momento de crise

Seja pessoa física, ou empresários e varejistas, para a especialista Joice Sperandio o ponto mais importante agora é o planejamento financeiro. É ele que vai proporcionar a clareza para lidar com as despesas e também mostrar a realidade de acordo com as receitas de acordo com a gestão do seu fluxo de caixa.

É o planejamento que irá trazer segurança e também possibilitar as projeções para os próximos meses, preparando você para as possíveis dificuldades.

©ESHOOTS.COM

Com o delineamento dos seus custos e lucros, é possível mensurar o valor necessário a ser retirado da reserva de emergência – item essencial para momentos de crise como esse.

Além de focar no planejamento financeiro da sua loja, ou do seu negócio, é importante mostrar apoio aos seus funcionários, já que os mesmo podem estar perdidos em relação às finanças dos próximos meses.

Também é muito importante que reavalie as suas metas e estratégias para a retomada do negócio assim que a situação normalizar. Essa análise deve ser realizada em dois parâmetros: interno, ou seja, você com os seus sócios (casa haja) e também em você como gestor com a sua equipe. Estar alinhado com o seu time agora é tão importante quanto cuidar da saúde financeira do seu negócio.

 

Classificando as despesas

Agora é necessário pensar em contenção, ou seja, enxugar ao máximo os seus custos.

E qual a melhor estratégia para reduzir os custos? Segundo Joice Sperandio, para as pessoas físicas, é possível separar as despesas em 3 categorias distintas:

©Ibrahim Rifath

  • Despesas de sobrevivência: engloba as despesas essenciais para sobreviver, como aluguel, condomínio, alimentação, transporte, etc.
  • Despesas de conforto: são despesas não essenciais, mas que trazem maior conforto ao dia a dia, como assinaturas de streaming e aplicativos, além de diaristas, ter mais de um carro – ou até ter um carro.
  • Despesas de luxo: são os gastos que podem ser adiados e que não influenciam na sobrevivência, como bares, restaurantes e viagens. 

 

Aqui, é necessário que cada pessoa, de acordo com a sua rotina, defina de forma realista em que categoria cada despesa se encaixa. Os maiores cortes devem ser feitos nas Despesas de Luxo e de Conforto, nessa ordem. Já as despesas de sobrevivência podem ser avaliadas para serem reduzidas, como o valor gasto no mercado, por exemplo.

 

Redução de custos no seu negócio: liste as prioridades

A mesma classificação das despesas feita na pessoa física deve ser realizada também no seu negócio. Ao invés de despesas de Sobrevivência, Conforto e Luxo, você pode separar as despesas da sua loja através de prioridades, sendo:

 

  • Prioridade 1: São os custos essenciais para manter o seu negócio aberto, como folha de pagamento, fornecedores importantes e as despesas fixas, como aluguel e internet, por exemplo.
  • Prioridade 2: Impostos e empréstimos. É uma classe que, principalmente nesse momento, pode ser negociável. 
  • Prioridade 3: viagens, seminários e investimentos não essenciais para a loja, que podem ser adiados ou reformulados.

 

Na prioridade 3, ainda se encaixa o Marketing do seu negócio. Porém, Joice alerta que o setor não deve ser cortado, apenas reavaliado. “Dependendo do seu ramo, você precisa do marketing para vender o seu produto, portanto ele não deve ser cortado. Mas é o momento de você buscar novos orçamentos, parcerias e inovar. Investir em comunicação Outdoor nesse momento talvez não faça tanto sentido quando investir nas mídias digitais, por exemplo. O foco aqui não é os cortes de despesas em si, mas sim buscar novas – e melhores – alternativas para o seu negócio”, conclui a especialista.

Mais do que nunca, é necessário que você esteja muito próximo do seu público para conseguir reverter a situação, se possível, ou que já prepare o consumidor para os próximos meses. 

Quanto aos prazos, tente negociar ao máximo os prazos com seus fornecedores, afinal, você também irá receber essa demanda dos seus clientes. É importante que você saiba o quanto pode prorrogar o pagamento dos seus clientes, proporcionalmente ao quanto você irá conseguir postergar os seus pagamentos. 

©Rupixen.com

O mix de produtos também deve ser avaliado. Avalie as peças que mais venderam nos últimos meses, já que elas poderão ser o seu carro-chefe de vendas quando a economia voltar a girar. Da mesma maneira, mensure as peças com baixo giro e comece a planejar estratégias e promoções para liquidar o estoque.

Para finalizar, Joice reforça que – não só em momentos de crise – é imprescindível que você separe as suas despesas jurídicas e pessoais, além de ter calma e avaliar suas finanças com clareza.

Confira a conversa na íntegra:

 

E você? Já começou a fazer a gestão financeira do seu negócio para superar a crise do COVID-19? Conte para a gente!

 

Avatar

Escrito por Grupo Elian

Há quase 03 décadas vestindo crianças, adolescentes e adultos com roupas de qualidade, estilo e muito conforto. O Grupo Elian é responsável pelas marcas Elian, Elian Beats, Colorittá e Marialicia, presente em todo o Brasil e também no exterior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *